Nossa História


A história da Fazenda São João da Prosperidade inicia-se no século XIX, entre 1820 a 30, quando o café começa a ser cultivado na região.

Através da doações de Sesmarias, Antonio Gonçalves de Morais, o chamado “capitão mata gente”, casado com Rosa Luiza Gomes de Morais, investe na plantação do café. Ele era também dono da Fazenda Braço Grande (atual Ibitira), que doou a seu filho José Gonçalves de Morais em 1843, conforme a escritura passada no cartório de Ipiabas.

Em 1843, segundo a escritura, Antonio Gonçalves de Morais comprou um sítio denominado Barra do Pirai. E em 1853 constrói uma ponte sobre o Rio Piraí dando inicio ao povoado de São Benedito, origem da cidade de Barra do Piraí.

A fazenda São João da Prosperidade fazia limite com a Fazenda da Floresta, em Ipiabas, de propriedade da Baronesa do Rio Bonito, e com a Fazenda de Braço Grande.

A casa da fazenda possui paredes externas muito largas de pedra e internas de pau a pique, enorme pé de direito, telhados bastante inclinados com telhas feitas à mão, assoalhos de tábuas largas e é muito simples, sem os requintes de outras fazendas construídas mais nos meados do século.

Do antigo conjunto composto por tulhas, moinho, senzalas e casa grande, hoje só existem a casa que possui quinze quartos, seis salões, um pátio interno, cozinha e terreiro de café, cercados de algumas construções.

Na frente da casa existe uma construção de pedra, que provavelmente se destinou a abrigos de tropas de mulas que levavam o café do Rio de Janeiro até a chegada em Barra do Piraí, da estrada de fero Dom Pedro II, em 1864.

Em 1873 com a inauguração da estrada de ferro Sapucahy, que mais tarde denomina-se "Rede Mineira de Viação", que saia de Barra do Pirai e ia a Santa Isabel do Rio Preto e daí ao interior de Minas Gerais, passou a existir uma estação “Prosperidade”, que servia para o embarque da fazenda para Barra do Piraí, onde era enviada para o Rio de Janeiro pela Ferrovia D. Pedro II.

A Fazenda São João da Prosperidade pertence hoje a Luiz Geraldo Muniz. Possui 40 alqueires mineiros e tem como principal atividade o turismo.